QUE CÂMERA É MELHOR PARA O QUÊ?

Postado em 17/03/2015 por Carlos Ebert
que-camera-e-melhor-para-que

Matar uma mosca com um tiro de canhão” é uma expressão popular que cabe como uma luva quando o assunto é a escolha de um formato de captação em cinematografia.

De acordo com a “teoria do funil”, há que se considerar a midia final em que a peça será exibida para poder estimar as caracteristicas da captura. Num exemplo extremo, fazer em 4K, RAW um vídeo que será exibido num celular corresponde exatamente à metáfora “matar uma mosca com um tiro de canhão”.

A resolução espacial, a latitude e o espaço de cor permitidos pelo codec de exibição é que devem determinar as características do formato de captação. Em outras palavras: sabendo o diâmetro da saída do funil, podemos determinar com segurança o diâmetro da sua boca de entrada. Resolvida essa questão dentro de parâmetros técnicos e financeiros racionais, podemos avaliar outras características a serem levadas em conta na escolha dos equipamentos de captação.

A primeira dessas características é o formato. Sé é um documentário para a TV, um comercial, uma filme de longa-metragem de ficção, um tutorial para a internet etc… Ele é que irá determinar – além do que já assinalamos acima (resolução espacial, latitude, espaço de cor, compressão da gravação e do formato de exibição), o tamanho, o peso e a ergonomia do equipamento.

Um documentário feito com a câmera na mão dentro de um barquinho tem exigências totalmente diferentes de um filme de longa-metragem a ser exibido numa tela de cinema. A performance da equipe de imagem pode sofrer muito em função de uma escolha equivocada do equipamento de câmera. Uma mistura de conhecimento técnico, limitações orçamentárias e bom senso deve orientar as escolhas.

Por exemplo: o emprego de câmeras DSLR com sensor 24x36mm, rolling shutter, skipping line e pixel binning (saiba mais) para captar documentários com câmera na mão torna-se uma missão quase impossível em termos de foco e de estabilidade da imagem.

Como as preferência e idiossincrasias pessoais jogam um papel importante nas escolhas, é importante manter um mínimo de racionalidade para obter não só bons resultados na imagem, como também para ter uma boa dinâmica da equipe. Oportunamente trataremos de alguns formatos de captação digital, sua adequação, vantagens e desvantagens.