LATINIDAD & GALHOFA

Postado em 29/04/2015 por Carlos Ebert
latinidade-galhofa

Há tempos que queria trabalhar com a Fantástica Post. Conheci Marlon Klug em 2010 durante o evento Masterclass em Cinematografia Digital da Caixa Cultural em Curitiba. Ele deu uma classe e mostrou um rolo incrível de SFX. Conversamos rapidamente e fiquei com uma ótima impressão inicial. Depois vi mais algumas peças produzidas por eles, sempre com um padrão altíssimo. Passados muitos meses, recebo um convite para fotografar um comercial para o Festival El Ojo De Iberoamérica, epecializado em filmes de propaganda. Fiquei num mixto de encanto e preocuação ao receber o storyboard. Era detalhadíssimo, com ilustrações maravilhosas, e dava a noção exata do enorme grau de dificuldade que iriamos encontrar para a sua realização. Desafio posto, começamos a trabalhar a distância. Trocamos dezenas de mails cheios de detalhes, referências e especificações.

[vimeo id=”106331898″ align=”center” mode=”normal” autoplay=”no” aspect_ratio=”16:9″ maxwidth=”955″]

A equipe curitibana – super competente, incluia além do Marlon, Rosane Melink, Rodrigo Stradiotto, Henrique Ribeiro e Marcos Cassel entre outros (a ficha completa está no link da Vimeo). O roteiro era a letra de uma música algo jocosa que glosava a nossa “latinidad”, e que dizia coisas como “ Yo estoy por todos los lados / Yo estoy en tu ciudad / Yo tengo la sangre latina / Pues a mi me gusta estar” e “Mira, que primor Hasta en el huevo del Condor, yo estoy” (ver mais fotos). Num estúdio não muito grande – da locadora do meu dileto amigo de décadas Horácio Camargo, foram construídos dois a dois os cenários das seis cenas que compõe o filme. Como Vcs viram, tem de tudo, até mar de ketchup (feito com o próprio), flores cantantes, anões andinos nascidos de ovos, lutadores de telecatch alados e por aí vai…

Tanta dificuldade gera outro tanto de planejamento. E assim foi. Cheguei ao estúdio com a luz já quase definida, mas como sempre, deixando espaço para ins-pirações do momento, do espaço e da equipe. Os SFX e as CG colaram maravilhosamente com as imagens que capturamos, usando toda sorte de luz (tungstênio, fluorescentes, HMI, LED, velas, lanternas etc) e todo o tipo de rebatimento (espelho, rebatedor metálico, isopor, pano branco etc) numa Alexa com óptica Zeiss master primes. A cena do ketchup em slomo foi feita com uma RED. Marlon, com muita segurança, executava o storyboard, mas sempre fazendo alguns planos quando sentia que eles ajudariam a narrativa. Tivemos algumas movimentações de câmera interessantes como o travelling sobre o sarcófago aberto, onde além da câmera, o refletor e a bandeira que fazia a sombra da tampa sendo retirada, estavam também sobre o carrinho, fazendo o movimento sincronizado.

Não acompanhei a pós produção da imagem, mas minha confiança na turma da Fantástica é total. Afinal, essa é a especialidade deles! Adoro o resultado conseguido nesse filme, e só tenho elogios para o Marlon e sua equipe. É daqueles poucos comerciais que figuraria no meu rolo de comerciais, caso eu ainda tivesse um…

 

  • Comercial Latinos: We are all over the fucking place
  • Direção: Marlon Klug